Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Os Estados Unidos da América acabam de enviar Cabo Verde um cidadão do Iémen preso há 14 anos em Guantánamo,

Os Estados Unidos da América acabam de enviar Cabo Verde um cidadão do Iémen preso há 14 anos em Guantánamo, Cuba. A notícia foi confirmada pelo Pentágono ontem, domingo, 4 de Dezembro.

Shawki Awad Balzuhair, de 34 anos, foi transferido a meio da semana passada do Centro de Detenção norte-mericano em Guantánamo, Cuba, para Cabo Verde, no âmbito de acordos judiciais existente entre Praia e Washington.

Natural do Iémen, Balzuhair estava preso sem julgamento há 14 anos e, segundo o New York Times, é a primeira transferência de um detento em Guantánamo desde que Donald Trump venceu as eleições presidenciais nos EUA – Trump, recorde-se, prometera em campanha reverter o plano de Barack Obama para encerrar a famosa prisão americana em Cuba.

A vinda do iemenita ao arquipélago, segundo o porta-voz da Casa Branca, Josh Earnest, segue o projecto do presidente Obama para transferir presos de Guantánamo que já não constituem ameaça. “É um trabalho duro e difícil, mas é isto que temos vindo a fazer ao longo de oito anos”, disse Earnest, acrescentando que o novo presidente eleito (Donald Trump) irá, agora, analisar como darão continuidade a este processo cujo objectivo final é encerrar Guantánamo – neste momento, com a transferência de Balzuhair para Cabo Verde já só restam 59 presos, dos quais outros 20 estão aprovados para sair.

“Os EUA são gratos a Cabo Verde pelo gesto humanitário e apoio contínuo para fechar o estabelecimento prisional de Guatánamo. A América em coordenação com Cabo Verde garantem que esta transferência foi feita com segurança e seguindo normas de tratamento humano”, disse o Pentágono, citado pelo jornal Daily Caller.

De acordo com a imprensa americana, que cita o Pentágono, o iemenita Shawki Awad Balzuhair, transferido para cumprir pena nestas ilhas – ainda não apurámos se na Praia ou em São Vicente – foi capturado um ano após os atentados de 11 de Setembro de 2001 por forças paquistanesas na capital Karachi.

O Paquistão entregou-o aos militares americanos que o levaram para Cuba em Outubro de 2002. Nos cinco primeiros anos de prisão, Balzuhair era apontado pela inteligência norte-americana cmo um dos elementos do “Karachi 6”, grupo tido como uma das células da Al-Qaida. Em 2009, uma revisão ao seu perfil baixou o seu nível de envolvimento com a organização terrorista de Osama Bin Laden, mas foi considerado “muito perigoso para pôr em liberdade”, escreve o New York Times.

Os relatórios seguintes concluiriam que Balzuhair era um militar do Iémen de nível médio, mas que teve treinamento nos campos da Al-Qaida e participou em algumas missões antes do 11 de Setembro de 2001. Não deica de chamar a atenção o título sugerido pelo Daly Caller sobre este assunto: “Obama enviou terrorista de Guantánamo para ilhas paradisíacas”.

Este é o segundo preso de Guantánamo a ser transferido para Cabo Verde, depois de em 2010 um suposto terrorista sírio ter sido libertado para passar os dias no arquipélago. Esse sírio foi colocado em São Vicente, onde ainda deve estar.

The Insider