Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Membros da CPN do MpD questionam por que têm que contribuir se o partido dispõe de verba para realizar essas reuniões

Sobretudo depois de vencer as legislativas e autárquicas amealhando milhares de contos em subsídios do Estado. 

A reunião da Comissão Politica Nacional (CPN) do MpD, realizada semana passada na Praia, poderá ser custeada pelos membros desse órgão do partido. É que, em nota endereçada aos comissários e assinada por Ulisses Correia e Silva, o MpD pede apoio financeiro dos mesmos para pagar as despesas da reunião da CPN.

“Venho solicitar-lhe uma contribuição especial de 10.000$00 para apoio à realização da CPN, montante esse que poderá ser transferido para as contas do MpD abaixo indicadas”, diz a nota.

O entanto, este pedido de apoio não caiu bem no seio dos comissários do partido, que, intramuros, criticam a postura do líder Ulisses Correia e Silva. É que, segundo defendem, “o MpD na oposição não teve necessidade de pedir ajuda dos militantes para realizar reuniões, pelo que é de estranhar que agora no poder o partido sinta tal carência a ponto de solicitar ajuda dos membros da Comissão Politica Nacional para se reunir”.

Alguns comissários terão comentado com pessoas de sua relação que não tencionam pagar os 10 contos, alegando que o partido neste momento não tem qualquer problema de tesouraria. No seu entender, o MpD ganhou as eleições legislativas e as autárquicas com grande maioria de votos, logo o partido está neste momento com verba mais do que suficiente para arcar com tais despesas, tendo em conta que por cada voto recebido terá 750 escudos de subsídio do Estado.

Este assunto pode transformar-se em polémica uma vez que alguns membros da CPN estão irredutíveis em como não irão pagar os 10 contos solicitados. A direcção do MpD, por seu lado, ainda não disse se vai retirar ou manter tal pedido. E nem se vai usar o mesmo método para financiar futuras reuniões.