Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

O Governo do Movimento para a Democracia (MPD) entrou no poder determinado a reduzir as despesas da maquina do Estado

Isso para poder salvar a dívida pública e tirar a economia  do país do código vermelho.

Para isto constituiu um governo aparentemente enxuto com  uma orgânica reduzida acumulando num só ministro várias pastas e eliminando muitos das que existiam no governo anterior

O maior resultado disto não aparenta ser a redução das despesas, isto tendo em conta o orçamento que se aprovou para o ano económico de 2017, nada disto. O maior resultado disto, são as centenas de chefes de família e jovens quadro no desemprego e centenas de famílias sem esperança no futuro.

Para um governo que prometeu a criação de 45 mil postos de trabalho durante a legislatura,  além da esperançosa  abertura de vagas nos empreendimentos turísticos que estão por nascer na cidade da Praia em São Vicente , Sal e Boa Vista por iniciativa de investimentos externos negociados ainda no governo anterior,  não vejo  mais onde   socorrer neste mandato.

Se aparecer emprego em 2017 vai ser com certeza em obras de empresas estrangeiras porque até agora do Governo não ouvi falar em construção de nem sequer um muro.

Acredito que muita gente do partido ventoinha que sofreu durante estes anos todos, chupando "tambarina" devem estar felizes por terem encontrado um buraco para se meterem em alguma instituição central ou local. 

Do resto,  politica aparte só vejo famílias a chorar. Os gritos de desespero vêm dos extintos ministérios e dos seus derivados, vem das autarquias locais onde funcionários com mais de 15 anos de serviço estão a serem despedidos sem dor nem piedade, vem das instituições e empresas do estados que estão a ser obrigadas a reduzir o pessoal e até de empresas privadas, que por falta de intensivos, estão a fechar as portas.

Temo por aqueles que acomodados  foram aos bancos emprestar dinheiro para comprar as suas habitações  e ai daqueles que viveram  sempre em função dos salários quando a antiga ministra da juventude avisou que " havia canja e pastel quim pode bendi" 

O governo está cego perante tanta desumanidade e o que adianta ter uma economia estável, com um PIB saudável quando ela não é repartida de forma justa para a população e que muitos não fazem parte delas.

Haja esperança no olhar  de cada cabo-verdiano,  haja sabedoria no entendimento dos nossos políticos e amor no coração de todos nós e que está onda de medo e insegurança se desfaz no ano que vem.

MLC