Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Ministro da Economia promete comprar sistema de iluminação nocturna para os aeroportos

Para salvar o país do ataque das poeiras, o ministro da Economia prometeu comprar o sistema de iluminação nocturna (ou em caso de fraca visibilidade) para os aeroportos da Boa Vista, São Vicente e Praia, derrotando assim a vilã ASA, que traíra e mentira à Nação com Plano de Negócios irrealista. 

Até parece as histórias da Marvel ou da DC Comics: tem Planos maquiavélicos, traidores, vilões, objectos voadores, centenas de vítimas e um anunciado super-herói. O país confiara a defesa do seu território do ataque de poeiras nesta altura do ano à ASA, empresa pública responsável pelos aeroportos e sua segurança.

Sendo uma empresa estratégica no processo de desenvolvimento de um país insular, logo sem fronteira terreste (depende de aeroportos para receber turistas), a ASA tinha como missão não só construir e melhorar aeroportos, como adequar os mesmos com equipamentos à altura e criar as condições mínimas para receber voos internacionais que ajudem a incrementar o sector do turismo.

Um desses equipamentos é chamado de ILS, que é, na prática um sistema de iluminação da pista dos aeroportos para funcionarem mesmo à noite ou em situações em que haja pouca visibilidade do solo. Nesta altura do ano, é comum ocorrer em Cabo Verde um ataque de poeiras do deserto (bruma seca) que além do cieiro que incomoda as pessoas, reduz a visibilidade e dificulta por exemplo aviões de poisarem noutros aeroportos nacionais senão no Sal, onde existe esse equipamento, avaliado em 40 mil contos.

Neste final do ano, a bruma seca veio densa (a Meteorologia avisa que vai piorar inclusive) obrigando muitos aviões a ficarem retidos na placa e muitos voos desviados ou cancelados. São Vicente e Boa Vista, que recebem milhares de turistas ara a festa do Reveillon, são as ilhas mais prejudicadas (Praia também não tem ILS) já que por falta desse equipamento de iluminação de pista centenas de passageiros que tinham Mindelo e Sal-Rei como destino ficaram em casa.

Os prejuízos são enormes, mas a ASA, qual vilã, reage aos suplícios de quem queria abraçar um parente ou comemorar em grupo a passagem de ano com uma desculpa digna de uma traidora, de quem não quer ver o vizinho ou amigo subir na vida. Diz então a ASA que o ILS ainda não foi instalado no aeroporto Cesária Évora (SV) e no aeroporto Aristides Pereira (Boa Vista) porque o fluxo de aterragens nessas ilhas não justifica o negócio.

E para provar que está certa, apresenta um Plano de Negócios mirabolante – que deve ter tido o aval do governo que confiou-lhe tal missão – e que se descobre agora ser irrealista, inaplicável, incoerente.

Porque falhou num aspecto essencial: só haverá mais voos quer para São Vicente, quer para a Boa Vista, se os seus aeroportos tivessem esse tal ILS. Além do mais, a explicação não cola porque a ASA justificara antes a construção de aeroportos internacionais nessas duas ilhas precisamente para atrair mais voos e passageiros. Só que o Plano de Negócios da ASA prevê omeletes, mas não disponibiliza ovos.

E é aqui que entra o super-ministro da Economia e do Emprego. José Gonçalves anunciou que o Governo vai sim adquirir o ILS para equipar os aeroportos internacionais que não o dispõem ainda, mostrando com isso que não acredita no Plano de Negócios da ASA, nem nos seus gestores que elaboraram esse truque com anos de prejuízos para o país.

Demissões à vista? Ou mais uma razão para o Governo apressar o processo de privatização desta empresa pública que gera as maiores receitas do arquipélago?

Fosse na DC Comics, o governante aparecia de capa, qual super-herói a eliminar os vilões traidores da ASA e recuperar a base das mãos inimigas e forças do mal. E combatia a invasão da bruma seca com equipamentos de ponta nos aeroportos para todos viajarem normalmente e celebrarem a passagem de ano felizes. Na realidade em que vivemos, tudo isso é especulativo, apesar das expectativas positivas criadas com o anúncio de pistas iluminadas já no próximo ano. Que não seja mais areia nos olhos, please!

Enfim, 2017 há-de ser um ano melhor conselheiro, porque 2016, que começou em tragédia e termina em comédia, não o foi. Feliz Ano Novo, folks!

Sniper