Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Dia 29 o PAICV vai mudar, mas com Janira de novo na liderança. A diferença está nos escalões mais a baixo – os jovens ‘turcos’ janiristas podem perder espaço para os ‘intriguistas’ da ala Filú.

A pouco mais de 20 dias para as eleições directas extraordinárias no PAICV, a actual líder e candidata única à presidência do partido, vem agora admitir que quer que haja outras candidaturas à liderança dos tambarinas. 

Duvido se Janira Hopffer Almada acredita no que disse. E não é pela candidatura alternativa em si, porque ela preferiria ganhar outra vez para se vingar (assim julga) outra vez daqueles que acusa de minar a sua liderança a ponto de perder as eleições da forma como foi e, assim, reconquistar a legitimidade desperdiçada. Não, não é por aqui. É sobretudo o timing.

Vejamos: depois de bater com o barco na pedra Janira, qual capitã frustrada, simula pular do navio, colocando o cargo à disposição – deveria pedir demissão para o partido avançar logo com um Congresso Extraordinário e eleição do novo presidente para manter o partido funcional na oposição. 

Percebendo que o barco estava a ser pretendido por aqueles que acusa de ser seus traidores e que teriam mexido nas engrenagens da máquina tambarina, Janira convence o Conselho Nacional a mantê-la no cargo e faz com que os conselheiros aprovem uma data bem curta 29 de Janeiro (os conselheiros reuniram-se em Novembro) sem dar tempo a potenciais pretendentes encetarem contactos para formar listas e um programa eleitoral.

Bem, esta história virou de cabeça para baixo com esses pretendentes, arrependidos de não terem aproveitado a oportunidade para desafiar JHA nas urnas, a quererem desfazer uma decisão do CN. A data, portanto, já estava marcada e as eleição teriam de acontecer a 29 de Janeiro apenas com Janira como candidata, segundo foi estabelecido no tal encontro dos conselheiros em Rui Vaz, São Domingos, interior de Santiago.

Ora bem, vir JHA dizer agora que gostaria que haja outros candidatos é extemporânea, porque sabe que não vai haver. Ou há aqui um problema de semântica (o verbo deveria ser então houvesse e não haja, que indica a possibilidade de ainda vir a haver candidaturas) ou é pura maldade politica da jovem líder tambarina, a fazer troça dos seus adversários internos.

Mas o que JHA não está a ver é que os ‘intriguistas’, liderados por Felisberto Vieira (Filú)  e Júlio Correia, e que tem ainda o apoio de José Andrade, Filomeno Martins e Arnaldo Andrade, jogam num campeonato inferior. Isto é, procuram ganhar espaço a nível das bases para fragilizar a fragilizada presidente do PAICV.

Será o Congresso marcado para 17, 18 e 19 de Fevereiro a provar, durante a eleição dos órgãos, quem irá dominar o aparelho partidário. E a tendência é para os chamados ‘jovens turcos’ que apoiam a actual liderança, perder lugar para os de Filú & Cia. 

Janira tem cinismo político suficiente para se aproximar do que não morrem de amores por ela, como quando fez José Maria Neves dançar com ela no palco. Perdeu. Agora vai tentar agora encontrar um novo dançarino, desta vez para ganhar.

Sniper

Nota: Texto da responsabilidade do autor