Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Novo ano começou, ficou para trás 2016, e novos desafios surgem, a vida contínua.

Naturalmente 2017 irá ter os seus acontecimentos astronómicos, e sabemos de centenas de por vir, haverá chuvas de meteoros, as chamadas super-luas, as mini-luas, cometas binoculares, astróides binoculares, os equinócios, mas, entre estes eventos fáceis de ser observados em destaque será o eclipse parcial do Sol no dia 21 de Agosto que terá um “gostinho” de quase total. Este acredito que vai ser um espectáculo bonito uma vez que vai acontecer ao pôr-do-sol, e com um vidro de mascara de soldar, desde que o tempo assim permita, todos terão acesso na primeira fila. 

Para começar o ano como observador do céu, no dia 04 de Janeiro o planeta Terra atingiu o seu periélio (peri = próximo, hélio = Sol), ou seja no seu ponto mais próximo do Sol para 2017, mas cuidado, estar mais “perto” do Sol não significa estar mais quente, pois, isto acontece todos os anos. As temperaturas mais quentes na Terra são devido a inclinação do seu eixo em relação ao Sol, por outras palavras tem a ver com a forma coma os raios incidem no nosso planeta.  

O internauta de certo já notou uma “estrela” muito brilhante logo pôr-do-sol no quadrante Oeste. Esta “estrela” é Vénus que atinge a sua máxima elongação no dia 12 de Janeiro, por outras palavras é a distância angular entre um planeta e um raio visual de quem observa na direção do Sol, e atinge o seu máximo brilho no dia 17 de Fevereiro.

Marte este ano não nos trará grandes espectáculos, uma vez que está no afélio, o ponto mais distante de nós, aparece como uma “estrela” vermelha muito pequenina. Toda via, está visível no começo da noite um pouco acima do planeta Vénus. Em 2018 Marte, no mês de Julho estará num dos pontos mais próximo da Terra desde da aproximação histórica de 2003. Na noite de 31 de Janeiro, a Lua, Marte e Vénus formarão um triângulo bonito, oportunidade para tirar uma bela foto, com seu telemóvel, se souber tirar partido do seu aparelho.

Agora em Janeiro, com o nascer do Sol por volta das 07 horas, dá tempo suficiente para apreciar três planetas, Júpiter, Saturno e Mercúrio, que são fáceis de ser observados no quadrante Este, não precisa nenhum equipamento, basta saber olhar.

Antes de ir para o trabalho ou durante o seu treino matinal, contempla as suas cores, mas cuidado nesta zona tem estrelas que marcam o céu, como Spica, Arturus, Vega, e próxima Centauro.

As chuvas de meteoros, em destaque as Perseidas com o pico nas noites de 11 a 12 de Agosto, e esta é uma desculpa fantástica para ir a uma praia do mar coma família e amigos à noite para assistir.  

Há alguns cometas para ver, pelo menos seis são prováveis de dar a sua aparição, mas são binoculares, e é preciso muita experiência para os localizar, entretanto, há um que poderá ser visto a olho nu, mas como se de uma estrela se trata, mas se não tem experiencia de observação passa por despercebida.

Não importa o seu instrumento, se for a olho nu ou assistido, o ano 2017 promete dar espetáculo no céu de Cabo Verde, e Se for um internauta assíduo da Cabofree, ao seu tempo será informado de cada acontecimento.

Autor: Victor Pinheiro

Foto: Victor Pinheiro

Fonte de informação: Sky telescope, Space.com, In-the-sky, Stellarium.