Votos do utilizador: 4 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela inativa
 

Diocese teve conhecimento das fotos escandalosas do padre angolano Alfredo Sebastião Inácio que foi afastado da paróquia da Calheta de São Miguel, interior de Santiago, desde há um mês.

O padre espiritano Alfredo Sebastião Inácio terá sido transferido em regime de urgência para o seu país de origem, Angola, depois que a Diocese de Santiago descobriu o seu envolvimento em casos escandolosos de orgias sexuais e lascívias com meninas e mulheres na Calheta de São Miguel onde era o pároco local.

O afastamento do padre da Calheta, onde estava há dez anos, foi feito em sigilo para evitar repercussões mas as fotos do sacerdote já circulam mostrando tanto cenas de sexo, como poses de Alfredo Inácio com sutiã e imagens de mulheres casadas nuas no seu quarto. 

Consta que essas imagens (também haverá em vídeo) terão sido utilizadas por um grupo próximo à Câmara Municipal para pressionar a Dioceses a transferir o padre e a trazer de novo à Calheta o anterior pároco, o português Nuno Miguel Rodrigues.

Seja como for, a verdade é que as fotos de Alfredo Inácio, que também presidia o Conselho Fiscal da DNA-Calheta, estão a dar que falar naquele concelho do interior de Santiago, trazendo de novo à superfície rumores de sacerdotes da Igreja Católica – sobretudo os mais novos – que vêm mantendo relações com fiéis e não só, furtando ao celibato a que estão obrigados e cometendo pecados capitais como o adultério.

O padre Alfredo Sebastião Inácio, primeiro espiritano angolano em Cabo Verde, chegou no dia 1 de Novembro de 2007, e foi logo colocado na Calheta São Miguel, para a sua primeira experiência missionária. Dez anos depois, eis, afinal, no que esteve literalmente metido.