Votos do utilizador: 4 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela inativa
 

O Tribunal de São Domingos decretou ao final da noite de ontem, 26, a prisão preventiva de Ana Barbosa.

Ana Barbosa foi detida por suspeitas de ter sido ela a autora do assassinato do seu ex-marido, o alemão Michael Gocht, cujo corpo foi dado à terra esta manhã na Praia.

Juntamente com Ana Barbosa vai também aguardar julgamento em prisão preventiva o seu suposto cúmplice e alegado namorado que a terá ajudado na ocultação do cadáver. Isto partindo dos rumores que dão conta que teria sido a ex-mulher a golpear Michael Gocht – conhecido entre amigos por Miguel – à paulada na cabeça.

Entretanto, amigos do alemão publicaram no facebook uma versão que evidencia crime premeditado. Num post de Inácio Pereira, amigo de Gocht, surge a informação de que a vala onde o cadáver foi enterrado teria sido aberta antes de o crime ter sido perpetrado.

Pereira, provavelmente com base em informações da policia, conta que o cão e o pastor que descobriram o corpo do alemão teriam visto o buraco aberto no dia anterior e no sábado, por volta das 17 horas, deparam com o mesmo buraco entulhado.

Há indicações de que mais pessoas poderiam ter participado neste crime aparentemente passional que envolverá a divisão de bens. É que, a estatura física de Michael Gocht, que é alto e forte (cerca de cem quilos), exigiriam os braços de mais do que uma pessoa para o remover do interior da casa, onde a PJ encontrou vestígios que indicam ter sido a cena do crime, até ao seu soterramento nas imediações de Pedregal, em Ribeirão Chiqueiro, São Domingos.

São detalhes que certamente a Policia Judiciária tem sob investigação. Por ora, os dois únicos suspeitos, a ex-mulher Ana Barbosa, na casa dos 50 anos (irmã do presidente do Sindicato de Policia e da artista plástica Nela Barbosa), e do seu alegado namorado, os quais vão aguardar julgamento em prisão preventiva.