Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

O ABC da Espanha escreve que as ruas de Cabo Verde são tomadas pela insegurança causada pela Diáspora repatriada

Depois da imprensa britânica escrever um monte de inverdades sobre Cabo Verde com o objectivo de estancar a fuga do turismo interno para o arquipélago, destino privilegiado dos ingleses, agora é a vez do ABC da Espanha  denegrir a imagem de Cabo Verde.

Com as Canárias como concorrente directo no sector do turismo o jornal ABC da Espanha escreveu sobre o processo da Binter e a queda dos TACV no mercado interno  e no texto definiu  Cabo Verde  como um "protetorado de ajuda internacional" em crise.

E vai mais longe e num contexto quase sem sentido aproveita para dizer que as ruas de Cabo Verde estão  tomadas pela violência e a criminalidade resultado de uma Diáspora repatriada.

"A compra de apenas 49%  é porque Cabo Verde não tem dinheiro. É um protectorado de ajudas internacionais e atravessa uma crise económica e inclusive de insegurança física em suas ruas com o retorno da Diaspora repatriada dos Estados Unidos por delitos e violência”, escreve o jornal espanhol.

O Jornal  traz ainda outros detalhes da negociação dos TACV que ainda não tinham sido pronunciados pelo Governo, nomeadamente na venda de um dos aeroportos internacionais para um possível investidor na nova companhia aérea, a TACV Internacional, criada com um capital social de 100 milhões de euro.

Neste processo, segundo o citado jornal,  Cabo Verde está estudando a entrada de um parceiro novo nessa nova TACV ao que se presumiu, também o controlo da gestão de um aeroporto com capacidade de crescimento no sector turístico. O jornal ainda arrisca dizer que o aeroporto previsto para ser sacrificado é o aeroporto internacional Amílcar Cabral na ilha do Sal, o melhor de Cabo Verde.

Sobre o monopólio da Binter no transporte inter-ilhas em Cabo Verde a Câmara do Comercio de Sotavento já  tinha alertado  o Governo para o risco de ser uma companhia aérea de uma região turística concorrente directa de Cabo Verde, no sector do turismo.

“Eliminando a concorrência em vigor até este momento, entregando o monopólio das ligações aéreas inter-ilhas e com a sub-região africana nas mãos de uma operadora privada e de capital estrangeiro, cujo acionista é oriundo de uma região que é o principal concorrente de Cabo Verde no corredor atlântico, nomeadamente no setor do turismo, e com sérios riscos e desvantagens claras para país e os consumidores”, alerta Jorge Spencer presidente da CCS em uma nota enviada à imprensa.

 É caso para Cabo Verde ficar em alerta perante as consequências destas negociações, uma vez que num ambiente de crise económica mundial, onde o sector do turismo é visto como o principal meio de angariação de recursos, tudo é válido. Ainda mais com a imprensa estrangeira a fazer campanha contra.

 

Pode ler o artigo aqui : http://www.abc.es/espana/canarias/abci-binter-ultima-venta-49-por-ciento-filial-cabo-verde-gobierno-colonia-portuguesa-201705250259_noticia.html#ns_campaign=rrss-inducido&ns_mchannel=abc-es&ns_source=fb&ns_linkname=noticia.foto&ns_fee=0